“O que me preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem-caráter, nem dos sem-ética. O que mais me preocupa é o silêncio dos bons”. (Martin Luther King)

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Audiência com Governo frusta o magistério. Greve continua!

Proposta do Governo é uma afronta, desrespeita e acaba com a carreira no magistério

A proposta apresentada ao SINTE/SC hoje, 23, durante audiência com a equipe gestora do Governo Raimundo Colombo foi rejeitada pelos trabalhadores em Educação e considerada uma "afronta" ao magistério.
O governo catarinense não respeitou a lei do Piso, não o considerou como vencimento base e acaba com a carreira do magistério catarinense.

"Não vamos apresentar (à categoria) esta proposta porque é uma afronta aos professores da rede estadual de Educação. A proposta desvaloriza os professores, acaba com a carreira do magistério catarinense, além de desrespeitar a categoria", criticou a coordenadora estadual do SINTE/SC, Alvete Bedin.

A coordenadora do SINTE/SC afirmou que a proposta do Governo não divide a mobilização da categoria. "Vai fortalecer a greve, pois fomos desrespeitados pelo governo Colombo".

A greve do magistério estadual entra hoje no sexto dia e conta com a adesão de 90% dos trabalhadores, que reivindicam a aplicação imediata do Piso como vencimento de carreira e sem alteração da tabela.

"A greve está forte e estamos no movimento certo; há uma lei federal que garante o Piso como vencimento básico sem alteração na tabela; o governo de Santa catarina deve respeitar a lei e apresentar proposta que beneficie todos os trabalhadores do magistério e não apenas alguns", disse a coordenação.

O achatamento da tabela foi considerado inaceitável pelo SINTE/SC, que reivindicou que o Governo retirasse a proposta da mesa. O governo optou pela intransigência, manteve a proposta e condiciou a continuidade do diálogo à suspensão imediata da paralisação na Educação.

Cerca de 500 professores acompanharam a audiência concentrados na frente da SED e, quando foram informados do resultado do encontro com o Governo, gritaram que, "greve continua até o governo pagar o que nos deve!".

Da audiência, realizada na SED, participaram contou com o Comando de Greve do SINTE/SC, integrado também pelo departamento jurídico do sindicato e com representante da CNTE; e,por parte do Governo estavam o secretário da Educação, Marco Tebaldi; o secretário-adjunto da Educação, Eduardo Deschamps; um representante do secretário da Administração, e um representante do Procurador Geral do Estado.




Fonte: Sinte/SC





Postado por: Comando de Greve Regional

4 comentários:

  1. Eles realmente acham que somos palhaços!

    ResponderExcluir
  2. mais voceis sao kkkkkkk sempre ganharam uma miseria,e agora vem reclamar ? se quiser ganhar bem fais facu de direiro nois do Gov.Colombo nao vamos pagar algo que voceis nao merecem,se quiser assim tudo bem se nao arranjamos outros para assumir os lugares de voceis ! profs desempregados e oque nao falta.

    Bjos Adm Gov de SC.

    ResponderExcluir
  3. Podemos ser palhaços, mas sabemos ler e escrever corretamente! No nosso vocabulário não existe "VOCEIS", "FAIS", "NOIS"!

    ResponderExcluir
  4. Palhaçada esse governo ai não tem vergonha na caravejam os altos salários da assembléia faz o favor.

    ResponderExcluir